sexta-feira, 7 de abril de 2017

História - 'CRÓNICA DA FUNDAÇÃO DOS CAMINHOS DE FERRO EM PORTUGAL', de Luiz Teixeira - Lisboa 1958 - MUITO RARO



História - Um documento histórico da fundação dos caminhos de ferro portugueses


'CRÓNICA DA FUNDAÇÃO DOS CAMINHOS DE FERRO EM PORTUGAL'
Edição do Centenário
De Luiz Teixeira
Edição da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses
Lisboa 1958


Livro com 52 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação. Excelente.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


Da INTRODUÇÃO:
"Quando decorrer um século depois da inauguração do primeiro caminho de ferro deverá circular no mesmo trajecto então percorrido a primeira unidade de exploração eléctrica, o que marca outra data notável na história dos nossos transportes ferroviários. Desejo neste momento prestar a todos que, durante este século, trabalharam em prol do caminho de ferro - Chefes de Estado, ministros e políticos, financeiros e homens de acção, dirigentes e dirigidos, trabalhadores da obra ferroviária - o mais comovido preito de homenagem e reconhecimento em nome de quantos hoje se esforçam por conseguir melhores caminhos de ferro para Portugal - que graças a Salazar é um Portugal melhor para todos os portugueses.

MÁRIO DE FIGUEIREDO
Presidente do Conselho de Administração da
Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses"


Preço: 100,00€;

terça-feira, 4 de abril de 2017

Ultramar & Guerra Colonial - 'L'outre-mer portugais en procès', de Luc Beyer de Ryke - Bruxelas 1973 - MUITO RARO



Ultramar & Guerra colonial - A problemática da administração colonial e da guerra nas colónias portuguesas


'L'outre-mer portugais en procès'
De Luc Beyer de Ryke e Marie-Claire Beyer de Ryke, photos
Edition Pierre de Méyère
Bruxelas 1973


Livro com 134 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO RARO.


Preço: 75,00€;

Ultramar - Angola & S. Tomé - 'AO SOL DO IMPÉRIO (Viagem Presidencial a S. Tomé e Angola - Crónicas Africanas) ', de Fernando de Pamplona - Lisboa 1938 - MUITO RARO




Ultramar - Angola & S. Tomé - Crónicas da visita do Presidente Óscar Carmona às duas antigas colónias portuguesas de África


'AO SOL DO IMPÉRIO (Viagem Presidencial a S. Tomé e Angola - Crónicas Africanas)'
De Fernando de Pamplona
Edição da Companhia Nacional Editora
Lisboa 1938


Livro com 222 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


A obra insere as crónicas do autor, enquanto enviado-especial do matutino lisboeta 'DIÁRIO DA MANHÃ', quando acompanhou as deslocações e visitas do então Presidente da República portuguesa, General Óscar Carmona, às antigas colónias africanas de S. Tomé e Príncipe e Angola. Ilustrado com diversas fotografias dos acontecimentos, incluindo ainda os retratos oficiais dos dois mais altos dirigentes do regime: General Óscar Carmona e Prof. António de Oliveira Salazar.


Do ÍNDICE:
I - A largada;
II - Do Tejo à Madeira;
III - Madeira, Jardim do Atlântico;
IV - Diário de bordo;
V - A Ilha do Príncipe, Princesa das Ilhas;
VI - S. Tomé, a esmeralda dos oceanos;
VII - No enclave de Cabinda: Príncipes, Sobas, Missionários;
VIII - Foz do Zaire: 'O Clamor da História';
IX - A apoteose de Luanda, cabeça de Angola;
X - No Amboím, no coração da floresta;
XI - Lobito, o maior porto africano;
XII - Benguela-a-verde;
XIII - Mossâmedes, cidade branca no continente negro;
XIV - Visões da África selvagem;
XV - A caçada no deserto;
XVI - Cassequel, torrão de açúcar;
XVII - Mostruário da riqueza de Angola;
XVIII - O esforço missionário;
XIX - Unidade no tempo e no espaço;
XX - Lisboa, capital do império;



Preço: 60,00€;

Ultramar & Colonialismo - 'ANGOLA PERANTE A ESCRAVATURA', de Alfredo Diogo Júnior - Luanda 1967 - MUITO RARO



Ultramar & colonialismo - Uma parte da história colonial onde a escravatura era importante factor económico


'ANGOLA PERANTE A ESCRAVATURA'
De Alfredo Diogo Júnior
Editorial Quissange
Luanda 1967


Livro com 186 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


Preço: 60,00€;

Moçambique - Revista 'UNICA' do EXPRESSO, de 30 de Julho de 2011 - 'O MASSACRE DE MOATIZE' - MUITO RARA



Moçambique - Uma explosão provocou o reacender de ódios entre moçambicanos e portugueses, escassos 2 anos após a independência


Revista 'UNICA' do EXPRESSO, de 30 de Julho de 2011.
'O MASSACRE DE MOATIZE - Testemunhos da explosão e da chacina em Moçambique, 34 anos depois'.
"A história, 34 anos depois, da explosão que matou 64 mineiros da Chipanga 3 e da chacina que vitimou nove europeus.
Um caso silenciado pelas conivências políticas de Portugal e de Moçambique."

Reportagem de: José Pedro Castanheira (textos) e de António Pedro Ferreira (fotografias)
Desenvolvida reportagem de 18 páginas e ilustrada.
Com Paola Rolleta em Maputo e Daniel rosário em Bruxelas


Revista muito ilustrada e em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO RARA.


'O MASSACRE DAS MINAS DE MOATIZE'
- "O Sousa Pontes não praguejou nem deixou sair um palavrão. só aquela exclamação: 'OH MEU DEUS !' ";
- Em 1976, a abóbada de cimento que protegia o ventilador foi projectada a 30 ou 40 metros e matou um homem;
- "O Sousa Pontes telefonou-me muito excitado: 'Estão a arrombar o escritório com picaretas, venha por ordem nisto !' ";
- "Zurzi forte no Ministro Marcelino: 'O senhor está a dizer isso a mulheres que acabaram de ficar viúvas !' ";
- "Na guerra, a FRELIMO matou 30 portugueses numa emboscada e nós só matámos nove. Quem é mais culpado?";
- No dia em que foi recebido por Samora, o embaixador Vaz Pereira enviou para Lisboa cinco telegramas secretos.
- "Na vila dizem que a casa de Sousa Pontes está assombrada. E depois da morte o Mercedes nunca mais andou";

"UM NEGRO OLHOU PARA MIM E DISSE: 'Já morreu mais um mzungo !' ";
- O mineiro português António de Jesus, 71 anos, conta, na primeira pessoa, como se salvou de uma chuva de pedras.

64 MORTOS LÁ EM BAIXO, NOVE CÁ EM CIMA

Investigação
- AS CAUSAS QUE NUNCA SERÃO CONHECIDAS



Preço: 50,00€;

quinta-feira, 30 de março de 2017

Moçambique & Ultramar - 'PEDRAS QUE JÁ NÃO FALAM', de Alfredo Pereira de Lima - Lourenço Marques 1972 - MUITO RARO



Moçambique & Colonialismo - As pedras de muitos edifícios históricos que testemunham um passado histórico na antiga cidade de Lourenço Marques


'PEDRAS QUE JÁ NÃO FALAM'
De Alfredo Pereira de Lima
Lourenço Marques 1972


Livro com 278 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


O autor, um grande estudioso da presença portuguesa em Moçambique e profundo conhecedor da cidade de Lourenço Marques (actual Maputo), dedica a presente obra a enumerar edifícios e locais da urbe que testemunham acontecimentos importantes ou históricos do seu passado. Um obra de grande raridade e com inúmera informação exclusiva sobre a evolução histórica e urbana da capital desta antiga colónia portuguesa da África ocidental.


Do ÍNDICE:
PREFÁCIO;
- O Forte Lagoa e os corsários de setecentos;
- O forte de S. José 'Intermezzo' austríaco;
- A sombra de Maria Teresa;
- A habitação-fortificada de Luís José;
- As tentativas frustradas de inglisação de Lourenço Marques;
- As portas da cidade;
- O estranho destino da Fonte Castilho;
- A primeira Estação do Caminho de Ferro;
- A casa onde se hospedou Kruguer em 1895;
- A Praça 7 de Março;
- O Hotel Real;
- O Teatro António Enes;
- Os 'bars' da rua do pecado;
- A Alfândega velha;
- Os começos difíceis da linha de defesa;
- O fim da linha de defesa;
- Vasco da Gama teve um monumento no jardim com o seu nome;
- O Paiol Velho;
- O Hospital civil e militar;
- A Igreja de Nossa Senhora da Conceição;
- O Farol da Ponta Vermelha;
- O antigo Grémio militar;
- A casa 'Prisão-doirada' do Presidente Kruguer;
- A estação do cabo submarino na Ponta Vermelha;
- A casa onde morreu Caldas Xaviewr;
- Os cinematógrados da 'belle époque';
- Falta um padrão na Catembe;



Preço: 70,00€;

Angola & Ultramar - 'OS SENTIMENTOS POLÍTICOS DOS INDÍGENAS DO CONGO PORTUGUÊS', de Hélio A. Esteves Felgas - Carmona 1959 - MUITO RARO



Angola & Ultramar - A situação política e social das populações do norte angolano após a independência do ex-Congo-Belga


'OS SENTIMENTOS POLÍTICOS DOS INDÍGENAS DO CONGO PORTUGUÊS'
De Hélio A. Esteves Felgas
Carmona 1959


Livro com 50 páginas, policopiado e só impresso num dos lados, em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO RARO.


Esta obra de grande raridade, é um importante estudo sobre a situação política e social das populações do norte de Angola, na qual Hélio Felgas revela o seu profundo conhecimento do ambiente e problemas dos indígenas desta região angolana. O autor, analisa as causas próximas da efervescência das populações, relacionadas com a instabilidade política no Congo-Brazaville (até então colónia Belgas), além do activismo da seita dos tocoístas, fundada e liderada por Simão Toco.


HÉLIO AUGUSTO ESTEVES FELGAS:
Foi um distinto oficial do exército português, tendo chegado a brigadeiro, e cumpriu comissões militares nas antigas colónias africanas de Angola, Guiné e Moçambique e ainda em Timor. Em Angola, exerceu ainda as funções de Governador do Distrito do Congo Português.

Pelas suas acções militares, foi condecorado por feitos em combate com as mais altas condecorações, incluindo a Torre e Espada.

Foi um investigador minucioso das populações e ambiente político-militar nas colónias em que exerceu as suas actividades militares e civis e foi autor de uma vasta e importante bibliografia sobre temas de história militar e do ultramar.


Preço: 0,00€; (Indisponível)

Angola & Poesia - 'CINCO VEZES ONZE - Poemas em Novembro', de Manuel Rui - Luanda 1985 - Raro



Angola & Poesia - A poesia angolana pós independência de um dos mais consagrados escritores


'CINCO VEZES ONZE - Poemas em Novembro'
De Manuel Rui
Capa de Victor Mesquit
Edição da União dos Escritores Angolanos
Luanda 1985


Livro com 168 páginas e em muito bom estado de conservação.
De difícil localização.
Raro.


Preço: 20,00€;

Descolonização & Angola - 'O RETORNADO - Histórica verídica de uma vida', de Joaquim Gonçalves Dias - Oliveira de Azeméis 2010 - RARO



Descolonização & Ultramar - As memórias do autor, da sua vida e dos familiares, no sul de Angola dos meados dos anos sessenta aos meados da década seguinte


'Até o meu nome me roubaram - 'O RETORNADO' - (Histórica verídica de uma vida)'
De Joaquim Gonçalves Dias
Ed autor -
Oliveira de Azeméis 2010


Livro com 414 páginas, ilustrado e como novo. Em excelente estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARO.


Da contra-capa:
"Apesar de ter sido ESPOLIADO de tudo o que construí em África, durante vinte anos de trabalho árduo, muito suor e sacrifício, e, ter - aos quarenta anos de reiniciar a vida, partindo do zero, com agregado familiar de seis pessoas - nunca desanimei.

Com muito trabalho, empenho, sacrifício e luta, consegui reerguer a cabeça, voltar a ser feliz e fazer feliz a minha família. Como consegui? Expresso tudo neste livro... "



Do ÍNDICE:
- PREFÁCIO - Eduardo Oliveira Costa;

PRIMEIRA PARTE

MEMÓRIAS DO MEU PASSADO
I - Capítulo
- Passado no Alqueidão onde nasci e vivi até aos dezoito anos;
(Abril de 1956)

II - Capítulo
- Passado em Angola - (Dos 18 aos 24 anos).
(Abril de 1956 a Maio de 1964)

III - Capítulo
- Férias em Portugal - Casamento e Angola;
(Maio de 1964 até Outubro de 1975)

IV - Capítulo
- Passado em Oliveira de Azeméis;
(Outubro de 1975 até quando Deus quiser)

SEGUNDA PARTE

- Como podemos ser felizes;



Preço: 27,50€;

África & Ultramar - 'QUEM INCENDIOU O CONGO', de Luís C. Lupi - Lisboa 1960 - RARO



Angola & Ultramar - As consequências para o território angolano das turbulências vividas no Congo-Kinsaha no período pré-independência


'QUEM INCENDIOU O CONGO'
De Luís C. Lupi
Editorial Império
Lisboa 1960


Livro com 176 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARO.


Luís Lupi relata os acontecimentos trágicos que antecederam e se seguiram à independência do Congo, da sua antiga potência colonial a Bégica, que causaram um elevado número de vítimas e de refugiados, tenso sido acolhidos pela autoridades portugueses de Angola. A obra inclui crónicas, reportagens e entrevistas sobre aqueles acontecimentos e o texto em inglês de uma conferência proferida pelo autor na Universidade de Oxford em 2 de Abril de 1960, defendendo a política colonial portuguesa.


LUÍS CALDEIRA LUPI
Nascido em 1901, jornalista, foi fundador da primeira agência noticiosa portuguesa, a 'LUSITÂNIA'. Autor de diversos livros e monografias sobre o ultramar português, em particular sobre as ex-colónias africanas de Angola e Moçambique.


Preço: 25,00€;